lift,
bringen sie mir einen kaffee
ende der welt

quinta-feira, 29 de outubro de 2009

Fred Matos



Se eu fosse um anjo



Tivesse asas, fosse um anjo,
poderia cingir-te aos braços
sem a volúpia que me inflama
e não roubaria os beijos
da boca que não me ama.

Poderia, talvez pudesse,
serenar-te o ânimo,
murmurando velhas fábulas
de amizades inumanas:
tivesse asas, fosse um anjo.

Poderia, talvez pudesse,
levar-te às estrelas,
onde se pode entender
a insignificância de tudo:
tivesse asas, fosse um anjo.

Mas não sou um anjo.
pulsam em mim as paixões
que movem a espécie humana
e o meu desejo é maior
que a razão que a hora clama.

2 comentários:

  1. Olá!

    Achei aqui um poema feito por Fred meu marido, por voce ter bom gosto vou te seguir.

    Até mais!

    www.eumeuoutro.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Mulher do poeta Fred Matos? Eu gosto muito das poesias dele que ele escrevia na lista escritas, mas depois sumiu de lá.

    ResponderExcluir